domingo, 4 de dezembro de 2016

Um ano

Um ano já. E parece que foi ontem. A saudade é a mesma, mas eu já não sou a mesma. Meio do Mundo, marco zero da minha vida profissional, do meu reencontro com Deus (na Comunidade Shalom), da realização de muitos planos e sonhos. E este Estado que tem estampado no nome o amor ao meu Pará (de onde saí, pela primeira vez, há 5 anos e onde nunca mais parei) mantém sempre presente comigo, nas lembranças e na saudade, meu apego à minha terra... Um duelo entre dois gigantes: o apego que me convida a voltar e a liberdade que insiste em me mandar para outros lugares.  No meio deles, fico eu com um olhar amoroso sabendo que eles ainda se entenderão, quando for a hora de Deus. Enquanto isso, vivo a turbulência ou a calmaria dos tempos de guerra e paz desses dois, que me constroem e me destroem, ao mesmo tempo. Um ano!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale com as flores, expresse suas ideias, retire as ervas daninhas e ajude a regar o jardim. Só não pise nas plantas... Obrigada!